Top 10! Os livros mais vendidos de todos os tempos

Gutemberg inventou a prensa, imprimiu uma Bíblia (foram cinco anos de impressão), e revolucionou completamente o mundo. O ano era 1455 e depois disso nada mais seria o mesmo. Talvez também nascesse ai algo chamado mercado literário e quase seiscentos anos depois temos a possibilidade até de escolhermos os livros mais vendidos de todos os tempos.

Na verdade não os “mais vendidos”, e também não de “toda história”, até por que muito antes de ser impressa pelo inventor alemão, a Bíblia já era um “sucesso de vendas”, assim como boa parte de seus compradores também não a leram de cabo à rabo. Do mesmo jeito que obras seminais como Os Três Mosqueteiros (1894), Os Miseráveis (1864), Alice no País das Maravilhas (1865) e tantos outros clássicos não entrariam na lista pela simples razão de não existir controle algum da quantidade de exemplares vendidos antes do começo do século XX, assim como seria difícil ver os livros, como por exemplo, Dom Quixote, chegando aos quatros cantos do mundo.

Acredita-se então que os livros como Dom Quixote tenham vendido algo em torno 500 milhões de exemplares, desde seu lançamento em 1605, assim como O Conto de Duas Cidades, de Charles Dickens, tenha chegado perto dos 300. Por isso que o mais justo para uma lista seria focar em números reais, a para se ter números reais, nada melhor do que focar no século XX.

Então sem mais delongas, confira a lista com os livros de ficção mais vendidos das história, somente entre os lançados desde 1900:

Os livros mais vendidos desde o século XX

1) O Senhor dos Anéis – 150 milhões
Não é lenda que talvez o Senhor dos Anéis tenha sido mais vendido que a Bíblia, já que se levado em conta os exemplares de ambos desde seu lançamento em 1955, não seria uma surpresa descobrir que o primeiro capítulo da “Trilogia do Anel” tenha sido mais vendido, principalmente depois do filme e do hype que se instalou ao redor dos livros e de seu autor J.R.R. Tolkien.

O Senhor dos Aneis

2) O Pequeno Príncipe – 140 milhões
O livro escrito pelo francês Antoine de Saint-Exupéry foi lançado em 1943 e se tornou uma verdadeira mania não só entre as misses, mas também entre crianças, jovens e adultos do mundo inteiro. O segredo era que cada um desses tinha um “livro diferente” para ler. Pequeno Príncipe então conquistou o mundo por suas camadas, que iam desde o infantil até um lado filosófico e poético que se escondia por suas páginas.

Pequeno Príncipe3) Harry Potter e a Pedra Filosofal – 107 milhões
E falando em fenômeno, chegar a esse número de exemplares vendidos em menos de 20 anos de vida (o livro é de 1997) é para poucos, e a britânica J.K. Rowling pode se dar ao luxo de ser umas das poucas pessoas no planeta a fazê-lo. O livro foi seguido de mais seis capítulos sobre a história do bruxinho (aos poucos vai se tornando menos diminutivo) Harry Potter e sua luta contra “você sabem quem”.

Harray Potter e a Pedro Filosofal

4) E Não Sobrou Nenhum (ou O Caso dos Dez Negrinos) – 100 milhões
Ainda que o livro tenha sofrido preconceito pela palavra “Negrinhos” no título (o original é “Ten Little Niggers” e além desses dois, ainda foi lançado pelo mundo como “Convite para a Morte”, “As Dez Figuras Negras”, “O Vingador Invisível” e até “Dez Indiozinhos”), a verdade é que o suspense pode até não ser mais famoso da escrito pela inglesa Agatha Christie (e nem conta com nenhum de seus personagens clássicos Hercule Poirot ou Miss Marple), mas foi não só o que mais vendeu, como ainda praticamente criou um sub-gênero onde um grupo de personagens se encontra preso em um lugar e se vê às voltas com uma série de mortes e um assassino misterioso.

O Caso dos Dez Negrinhos

5) O Hobbit – 100 milhões
Quase vinte anos antes de O Senhor dos Anéis, em 1937, J.R.R Tolkien apresentou ao mundo o que seria a tal Terra Média onde Frodo e sua Comitiva do Anel se aventurariam. Mas aqui a história é outra, com seu tio Bilbo e um grupo de anões indo em busca de um tesouro guardado por um dragão. O livro tem um teor muito mais infanto-juvenil que o resto de suas obras e é aclamado até hoje entre os livros mais importantes do gênero.

O Hobbit

6) O leão, A Feiticeira e o Guarda-roupa – 85 milhões
Em 1950, pouco antes de Tolkien lançar sua grande obra-prima, um de seus amigos próximos, C.S. Lewis, se aventurou em um gênero semelhante que daria início à série As Crónicas de Nárnia. O livro narra a aventura de quatro irmãos que ao fugirem de um bombardeio em Londres durante a Segunda Guerra Mundial, acabam se escondendo em um guarda-roupa que os leva até o mundo mágico de Nárnia, onde ajudam seu povo a enfrentar a Feiticeira Branca. Além do sucesso de vendas, o livro ainda ficou famoso pela ligação aberta que Lewis pretendia fazer entre os acontecimentos de Nárnia e a própria Bíblia (mais precisamente o Novo Testamento).

O Leão, A Feiticeira e o Guarda-Roupa

7) O Código Da Vinci – 80 milhões
Mais jovem da lista (lançado em 2003) e talvez o mais impressionante em termos de fenômeno. Principalmente por se tratar do segundo capítulo de uma franquia escrita por Dan Brown e apresentar muito pouco além do que já tinha sido feito no primeiro livro, Anjos e Demônios. Talvez o “código” para entender isso fique então em razão do assunto e da polêmica que Brown traz com uma trama que mistura Jesus Cristo e teorias de conspiração, com uma sociedade não tão secreta assim e um ritmo intenso (vulgo “muita correria e capítulos acabando no ápice da ação”).

O Código Da Vinci

8) Harry Potter e o Enigma do Príncipe – 65 milhões
Lançado em 2005 e movido tanto pelo sucesso dos filmes quanto do livros, o penúltimo livro da série, curiosamente, é um dos que mais vendeu. Talvez por ser o mais sombrio de todos, talvez pelo ritmo movimentado e a impressão de estar colocando todas peças no lugar para a última história. Ou talvez simplesmente, pois muita gente acha esse o melhor livro da série.

Harry Potter e o Enigma do Príncipe

9) Apanhador no Campo de Centeio – 65 milhões
Muito provavelmente ainda um dos livros mais vendidos nos Estados Unidos (algo em torno de 250 mil cópias por ano) e lançado em 1951 (depois de inicialmente ter ganhado vida em um formato de revista entre 1946 e 196), o livro de J.D. Sallinger tinha como foco o público adulto, mas acabou conquistando leitores um pouco mais novos (talvez até seja a pedra-fundamental do gênero Young Adult). A história do quase anti-herói Holden Caulfield passava pelas confusões da adolescência, angústias e rebeldias da idade enquanto o personagem volta para a casa em um feriado e repensa sua vida. Já de um modo mais trágico, Apanhador no Campo de Centeio ainda ficou marcado por ser o livro que Mark David Chapman carregava consigo no dia que assassinou John Lennon e indicou que tirou dele a inspiração do crime.

O Apanhado no Campo de Centeio

10) O Alquimista – 65 milhões
Para quem não achava que pudesse ter um brasileiro na lista, eis que esse décimo lugar fica com Paulo Coelho e seu segundo livro, lançado em 1988. O livro conta a história de um pastor, Santiago, e sua caminhada entre a Espanha e o Egito, tempo e espaço suficiente para ele se perder em contestações e questões proeminentes sobre a humanidade desde seu começo. O livro se tornou um best-seller internacional e foi traduzido para mais de 65 línguas, o que lhe garantiu um enorme sucesso por onde passou.

O Alquimista