A Mulher Silenciosa | Suspense psicológico é obra única e já um dos melhores do gênero

O tempo nunca poderá dizer se a escritora canadense A. S. A. Harrison (vulgo Susan Harrison) se tornaria ou não um daqueles fenômenos tardios da literatura mundial. A escritora lançou seu primeiro e único livro de ficção, A Mulher Silenciosa, somente aos 65 anos, apenas poucos meses antes de falecer. Mas o pouco de sua carreira, essas 256 páginas, definitivamente a colocam junto dos grandes escritores da atualidade.

A Mulher Silenciosa é então esse suspense fino e inteligente, que desafia seu leitor a mergulhar de cabeça nos mais profundos cantos escuros dos dois personagens principais que compõe essa obra incrível. Um daqueles livros que não te deixam depois do final e muito menos permitem que você feche-o antes de acabar de lê-lo. E isso não é um exagero.

Nele, Harrison conta a história de um casal daqueles que exalam perfeição. Ele, um empreiteiro bem sucedido; ela, uma inteligente mulher que divide seu tempo entre os afazeres de casa e uma humilde, porém estável, carreira de psicóloga. Mas em poucas páginas você descobre que logo ela se tornará uma assassina.

E isso não é um spoiler, mas sim uma estratégia narrativa que quando bem usada cria tramas incríveis. Stephen King faz isso muito bem, e Harrison rapidamente demonstra que faz isso melhor ainda, fazendo com que parte da grande diversão de A Mulher Silenciosa seja juntar as peças para entender esse futuro próximo. Um mosaico de pequenos cacos da personalidade de ambos personagens que criam um quadro, não inesperado, mas incrivelmente interessante e complexo.

O futuro da personagem vem então como uma pedrada no peito, mas é toda a experiência de acompanhar essa trama é que faz cada página valer a pena. A cada capítulo, um ponto de vista, alternando o dele e o dela, mas mais do que isso uma camada a ser descascada.

E é essa parceria entre personagem e leitor que permite que cada segredo ou pensamento perturbador escorra pelos dedos do personagem com uma naturalidade que torna cúmplice cada um que estiver virando aquelas páginas. É impossível então não se sensibilizar e entender as motivações de ambos.

De uma mulher que não faz a mínima ideia do que fazer diante da total destruição do status quo de sua vida, que não sabe lidar com as mudanças de sua vida e muito menos com as escolhas que fez. De um homem que venceu na vida, mas é incapaz de lidar com seus desejos e com uma vontade de renovar, remodelar sua vida. Ambos por volta dos quarenta anos, no que poderia se tornar apenas um livro sobre uma crise da meia idade, mas que aqui se torna um estudo de personagem (s)poderoso e cru que se torna um suspense com uma facilidade eletrizante.

Uma visceralidade que não vem do exterior, mas sim do interior, de suas psiquês. E dar de cara com toda essa profundidade é algo que quando o leitor dá de frente, é difícil não se transformar em paixão.

Mas tudo isso não funcionaria se fosse só uma ideia, e ai entre uma incrível habilidade técnica de Harrison. Uma leitura ágil e deliciosa, onde cada detalhe e descrição estão ali por uma razão. É incrível como surgem detalhes absurdos e chocantes dos personagens, escondidos entre uma e outra frase, como se escondesse pequenas surpresas pelas linhas. É fácil pular do sofá quando sem mais nem menos você descobre um passado violento ou uma tentativa de assassinato “só para ver como é”.

A autora ainda tem a capacidade incrível de estender o tempo de seus personagens. Um capítulo pode durar dias, mas ao mesmo tempo um pequeno momento pode se transformar em um turbilhão de impressões e sensações que enchem algumas páginas, ambos com o mesmo ritmo. Isso sem contar um final que desafia o leitor a entrar em um labirinto de ideias e pensamentos que voam pelas páginas e misturam medo, culpa e esperança afogando a protagonista diante de suas decisões. Um pouco de suspense, um pouco de um pesado drama familiar, um pouco até de comédia e surpresas. Mas sobre tudo isso um pouco do melhor que a literatura tem a lhe oferecer.

Uma obra única de uma autora única e que, infelizmente, não dará ao mundo uma segunda chance de aproveitarmos o trabalho de uma escritora que poderia facilmente se tornar uma das grandes de sua geração.

A Mulher Silenciosa Book Cover A Mulher Silenciosa
"The Silent Wife"
A S A Harrison
Editora Intrinseca
2013
256

Um casal aparentemente perfeito descobre que toda essa aparência às vezes esconde uma série de problemas que rumam tanto para uma traição, quanto para uma nova vida e até um destino trágico anunciado.