O Horror! O Horror!

Já falei aqui várias vezes sobre os “mistérios” do mercado editorial brasileiro, mas algumas omissões são absurdamente inexplicáveis. Um dos gêneros literários de que mais gosto é o terror, principalmente o clássico ou gótico. H. P. Lovecraft, Henry James, Edgar Allan Poe, Mary Shelley e outros são os meus preferidos, mas existem autores fantásticos que muita gente desconhece por aqui. A razão? Não são mais – ou nunca foram – editados em português do Brasil.

Claro que as ausências não são próprias de um gênero como o terror. Basta ver quantos livros do francês Romain Gary são encontrados em português. Só para se ver a importância do autor, Gary foi o único a ganhar o prestigiado prêmio Goncourt duas vezes ( o que é proibido pelo regulamento do prêmio ), usando um pseudônimo. Uma em 1956 e outra em 1975, sem falar que escreveu mais de trinta livros, além de ensaios e memórias.

Por aqui, depois de procurar muito, você vai encontrar Nas Sombras do Vaticano, editado na década de 70 (em sebos) e Promessa ao Amanhecer. Pior para quem é fã de Gary e gostaria de ler, por exemplo, White Dog em português. Simplesmente uma das mais fantásticas histórias sobre racismo, transformada em um filme norte-americano de Samuel Fuller em 1982, com Kristy McNichol e Paul Winfield. Infelizmente, até o filme é difícil de se achar.

Arthur Machen

O caso das histórias de horror é bem complicado. Tanto, que até fãs do gênero desconhecem escritores como Arthur Machen, por exemplo. Apontado por ninguém menos do que o próprio Lovecraft como um dos maiores talentos do “terror cósmico”, Machen tem apenas uma obra editada em português, o livro O terror, composto pela novela de mesmo nome e uma reunião de pequenas histórias sob o nome de Ornamentos de Jade, mais um ensaio sobre o autor. Tudo espremido numa edição fininha com uma capa horrível da Iluminuras. Quando digo horrível, leia-se daquelas que quem compra livro pela capa vai passar longe…

A obra mais famosa do autor O Grande Deus Pã, só numa edição importada da editora portuguesa Saída de Emergência. Uma editora brasileira chamada Penalux (?) promete lançar a obra ainda este ano, mas mesmo sem conhecer a editora, me parece que Machen mereceria uma casa mais sólida, principalmente se levarmos em consideração que um dos grandes nós para se chegar ao leitor está na distribuição.

O que falar, então de Shirley Jackson? Autora do famoso livro A Assombração da Casa da Colina, já apontado como um dos mais assustadores já escrito, a autora não tem nada editado em português, salvo uma antiga e já esgotada edição do seu mais famoso e já citado livro pela editora Francisco Alves, no início dos anos 80. Seu conto mais conhecido e aclamado, The Lottery, permanece absurdamente inédito em português. Mais uma ausência a se lamentar para os fãs do horror.

Shirley Jackson

Ambrose Bierce, outro monstro sagrado do terror e suspense, também é uma imperdoável lacuna no mercado editorial brasileiro. Possui um único volume de contos publicado, mas já esgotado, chamado Visões da Noite que, diga-se de passagem, só saiu graças à insistência de uma famosa fã de Bierce, a também escritora Heloísa Seixas. Possui um conto ( A Morte de Halpin Frayser ) publicado numa coletânea simpática da Martin Claret chamada simplesmente de Contos de Terror que, por enquanto, possui dois volumes.

Outro desprezado por aqui é Algernon Blackwood. Também graças à Heloísa Seixas, um volume de seus contos (A Casa do Passado) foi publicado pela Record. Mas já está esgotado e, apesar de se poder dizer que teve mais sorte do que outros autores no Brasil, vários de seus trabalhos estão espalhados por coletâneas suspeitas em editoras duvidosas, infelizmente.

Embora se possam encontrar vários desses autores em ebooks, a maioria só para quem entende bem o inglês, então, fica a dica para editoras que não queiram gastar muito e publicar autores de primeira grandeza. Já pensou numa coleção de terror só com esses fantásticos autores? Quem sabe um dia, quando o mercado editorial brasileiro descobrir que não se pode viver só de celebridades instantâneas e livrinhos de auto-ajuda…