O Príncipe da Privataria

Livro da Coleção História Agora conta sobre os escândalos de corrupção durante o governo FHC

Diante de tantos escândalos de corrupção e a ideia de que este é um fenômeno recente, Palmério Dória tenta melhorar nossa memória política.

Montar um grande quebra cabeça e perceber que aquela linda imagem da capa é apenas uma peça é um pouco frustrante, já que compramos a obra esperando receber a paisagem, mas tudo que recebe é uma pequena pincelada do que esperava.

O Príncipe da Privataria de Palmério Dora é assim. Ele traz em sua capa “a história secreta de como o Brasil perdeu seu patrimônio e Fernando Henrique Cardoso ganhou sua eleição”, porém, a relação entre os desvios durante as privatizações e a compra de votos ganha apenas algumas páginas.

Depois de ótimos lançamentos sobre a história recente do Brasil com Honoráveis Bandidos – Um retrato do Brasil na Era Sarney, do próprio Palmério Doria, e Privataria Tucana, de Amaury Ribeiro Jr, o novo livro de Dória dá uma pequena escorregada nas peças do quebra cabeças.

Enquanto o livro anterior do jornalista fala sobre a história do Brasil durante o governo Sarney, o mais recente foca no período governado por FHC, e mesmo não tão inspirado, ainda assim é cheio de denúncias e escândalos que se esvaem em meio a amnésia política nacional.

O Príncipe da Privataria de Palmério DóriaO Príncipe da Privataria de Palmério Dória

De qualquer jeito, um pouco dessa inspiração ainda está aqui, como em um dos pontos principais do livro: a entrevista inédita e exclusiva com Narciso Mendes, o “Senhor X”, deputado que denunciou as compras de voto para aprovar o projeto de lei que criou reeleição durante o primeiro mandato de Fernando Henrique Cardoso.

Com isso em mente, assim como um quebra cabeça, as peças parecem estranhas e distantes à primeira vista, mas quando tudo começa a se encaixar, tomam forma e criam um cenário muito mais simples de compreender. Por isso, alguns nomes e relações entre políticos e empresários podem soar forçados no começo, mas ficam cada vez mais naturais no decorrer do livro, como a ligação entre Fernando Henrique Cardoso e o político e advogado Jorge Bornhausen, do antigo PFL, hoje no PSD de Kassab.

Outro aspecto interessante neste grande quebra cabeça está nas comparações. Ao falar da corrupção, as vendas de estatais por valores menores que o de caixa, os títulos podres que o País aceitou como pagamento, entre outros escândalos, Palmério Doria faz ótimas comparações para aproximar de nossas vidas quantias que nunca sonhamos ver.

Quando o assunto é o caso do Banestado, por exemplo, onde o banco lesou seus clientes em US$ 200 mi, sabemos que é valor suficiente para comprar 2.647 ambulâncias equipadas, uma para cada duas cidades do País. Ou a importação de 30 usinas de álcool nunca usadas, proposta criada por Sérgio Motta, braço direito de FHC, durante o governo Figueiredo, que lesou o Brasil em US$ 250 mi, lembrando que, com esse dinheiro, poderia instalar a rede de esgoto completa em uma cidade com 250 mil habitantes.

Apesar de ser um livro sobre política, assunto complicado para boa parte da população, ele traz uma linguagem simples e direta, explicando facilmente todos os assuntos. Além disso, o leitor já está familiarizado com muitos dos nomes de políticos que aparecem no decorrer da história, além de pessoas e empresas que fazem parte dos casos de corrupção mais recentes, como Daniel Dantas, Odebrecht, Andrade Gutierrez, Banco Opportunity, entre outros.

Porém, nem todas as peças são bonitas e se encaixam bem. Enquanto a imagem que deveria ser central no quebra cabeça não passa de uma pequena peça, uma grande paisagem sem motivo ganha muito espaço. O Príncipe da Privataria leva muito tempo falando sobre o caso de Fernando Henrique Cardoso com a jornalista Miriam Dutra, com quem teria um filho fora do casamento. Mas, tudo cai por água abaixo no último capítulo ao falar sobre os exames de DNA que deram negativo.

Apesar de não ser tão impactante quanto outras obras da Coleção História Agora, Editora Geração, O Príncipe da Privataria de Palmério Dória merece uma atenção especial por todo o contexto histórico que é apresentado. Mesmo que algumas peças sobrem no quebra cabeça (e outras com menor importância do que deveriam), ainda assim vale a pena ter essa imagem montada em sua mente.

O Príncipe da Privataria Book Cover O Príncipe da Privataria
Idem
Palmério Dória
Editora Geração
2013
399

No mais recente livro da Coleção História Agora, Palmério Dória traça um paralelo entre os escândalos de corrupção durante os governos de FHC e a compra de votos para aprovar a lei da reeleição.