Penadinho – Vida

Se desde o começo do projeto Graphic MSP a ideia era repensar e desconstruir alguns dos principais ícones do universo criado por Maurício de Sousa, Penadinho – Vida talvez seja um dos que melhor transita entre as duas possibilidades: mantém a aura do original, enquanto criam “novos” personagens.

Diferentemente de exemplos como o Inga escrito e desenhado pelo Shiko e os Astronautas do Danilo Beyruth, o Vida do casal Paulo Crumbim e Cristina Eiko, não deixa de lado o clássico, mas é moderno o suficiente para que Penadinho, Zé Vampyr, Muminho e Frank (além de mais um punhado de surpresas, incluindo uma Dona Morte de encher os olhos!) atinjam em cheio tanto os leitores mais antigos, quanto quem pretende descobrir esse mundo só agora.

Penadinho - Vida é de encher os olhos dos fãs de Mauricio de Souza.

Na história, Penadinho recebe a visita da cegonha com uma notícia preocupante, o que o faz correr atrás da Alminha para declarar seus sentimentos, mas, no meio disso, ela acaba sendo sequestrada por um vilão como pretensões bem malévolas. E parte das surpresas da HQ passam não só pelas motivações do antagonistas, como por diversos outros deliciosos detalhes.

E falando em “detalhes”, além do roteiro se manter simples, fácil e divertido, algo que pula aos olhos é o carinho com que a dupla parece criar esse universo. Além de um monte referências ao Heavy Metal, como o anel do Motorhead, o horário ser justamente dois minutos para a meia-noite, Zé Vampyr gritando algo como um “Run To The Hills” e mais diversos detalhes divertidos, o leitor ainda dará de cara com um “Mr. Crowley” e até um pouco de O Exorcista (sem contar que os fã de Sandman, que ainda reconhecerão a Alminha em uma prisão bem com aquela àquela da série de Neil Gaiman).

Boa parte dessa riqueza vem da arte de Crumbim, que emprega seu estilo meio manga / estilizado / fofinho à esse favor. E ainda que em um certo momento Zé Vampyr pareça ser tirado diretamente de um manga colorido e extravagante, na maioria do tempo o desenhista está mesmo preocupado em criar um visual simpático, ágil e cheio de personalidade. Um visual que tem espaço para brincadeiras como o “mapa em 8-Bits”, mas também para contar uma história visual e que torna a leitura um esforço delicioso de chegar ao fim dessa aventura.

O trabalho de arte de Penadinho é incrível e traz uma Dona Morte surpreendente.

Um acerto que se junta ao bem estruturado roteiro da HQ, que move bem os personagens e faz questão de posicionar muito bem as clássicas personalidades de cada um deles, mas sempre com uma atualização que dão a eles um perfil mais moderno e atual (como o “problema” de Muminho e a personalidade forte de Zé Vampyr).

Penadinho – Vida é então esse exemplo de como a série MSP é um dos acertos mais completos, não só do mercado editorial do Brasil, mas também do mundo dos quadrinhos. Mostrando que novos autores têm sim toda capacidade de darem uma vida nova para personagens clássicos e já estabelecidos. Portanto, assim como nunca, vida longa à série Graphic MSP.

Penadinho - Vida Book Cover Penadinho - Vida
Graphic MSP
Paulo Crumbim e Cristina Eiko
Panini Comics
2015
82 páginas

Penadinho estrela sua própria Graphic MSP e nela recebe a visita da cegonha com uma notícia preocupante, o que o faz correr atrás da Alminha para declarar seus sentimentos, mas no meio disso ela acaba sendo sequestrada por um vilão como pretensões bem malévolas.